quinta-feira, 29 de abril de 2010

Faltou raça!




Nação Azul Guerreira!

Quem já passou por uma universidade sabe como é puxada a rotina de estudos, para quem realmente se preocupa em estudar, e os que não passaram por isso ainda, é bom ir se acostumando a ler quase o dia inteiro!
Mas essa rotina não explica a minha ausência daqui do blog, nem fato de ficar longe de minha paixão azul e branco. O que acontece é que a nação celeste merece o máximo de qualquer blogueiro que coloque na página de seu blog as cinco estrelas mais belas do universo.

Confesso que o Cruzeiro não tem me animado muito ultimamente e acredito que para a maioria dos torcedores celeste, a situação é a mesma.
Falta emoção nesse time do Cruzeiro, nem a mídia se interessa em publicar notícias sobre o Maior de Minas, mesmo estando em destaque entre os melhores do mundo e disputando a mais importante competição internacional.
A última vez que me senti empolgado com o time celeste a ponto de dizer que este é o melhor do mundo, independente de qualquer pesquisa, foi durante aquela partida contra o Vélez no Mineirão. Naquele dia o Cruzeiro brilhou tanto que ofuscou qualquer jogada do time argentino.

Poxa! Seria pedir muito que os jogadores do Cruzeiro empregassem a mesma raça durante todas as partidas que disputar?
Penso que não! Muitos dirão que é impossível acontecer isso, mas minha opinião é que a raça é o mínimo que qualquer torcedor quer ver quando vai a um estádio de futebol.

No campeonato mineiro, não vejo nenhum erro por parte de Adilson Batista. Ele foi racional. Usou a cabeça em sua escalação. É lógico que antes de um jogo importante contra o Nacional, o técnico deve priorizar a competição internacional que tem muito mais visibilidade que um campeonato mineiro.
Isso não justifica a falta de interesse dos jogadores reserva, que eram capazes tecnicamente de vencer a equipe do Ipantinga. Faltou raça!
Não quero menosprezar a equipe do Vale do Aço, mas o Cruzeiro mesmo com um time reserva que tinha Fábio, Diego Renan, Roger, Bernardo e Wellington Paulista, era capaz de vencer a partida. É claro que Kléber e Leonardo Silva fazem uma diferença danada, mas quem arriscaria de perder esses jogadores na Libertadores?
No lugar do Adílson, teria feito o mesmo! Só daria antes uma bronca para que esses jogadores honrassem a camisa que estavam vestindo.

Eu quero ver! Cruzeiro jogar com raça para vencer!

Um comentário:

Carlão Azul disse...

Pois é amigo Rafael, eu vi isso também, falta de raça de vontade. Disse sobre o jogo que vi o Ipatinga disputando uma DECISÃO e o Cruzeiro só jogava mais um joguinho do ruralito. Também falei que esse time que entrou em campo tinha condições e a obrigação de vencer o Ipatinga(sem menosprezá-los). E tinha mesmo, mas ...


Abraços amigo, fique tranquilo que vamos aqui torcendo pelo seu sucesso na faculdade e de vez em quando nos brinde com seus textos,sempre coerentes, lúcidos e muito inteligentes.

Sds. Celestes